Serviços


Abrandador Remoção De Dureza De Cálcio e Magnésio



Big Blue - Filtros Polidores



Desmineralização


Pode-se obter a desmineralização de água empregando-se sistemas de desmineralização tanto por Troca Ionica (TI) como pela tecnologia de osmose reversa (OR).

Há alguns critérios que influenciam na decisão de qual a tecnologia escolher, são eles: local de instalação, qualidade da água tratada requerida e da bruta disponível para desmineralização, os quais influenciam diretamente no pré-tratamento de maior ou menor complexidade. Para águas de baixo teor de sais dissolvidos (TSD), o processo de resinas de troca iônica é mais econômico em operação que o de osmose reversa. Águas com alto TSD devem ser preferencialmente desmineralizadas empregando-se processos de OR, pois a maior frequência de regenerações implica em maior consumo de produtos químicos.

Consumo de produtos químicos:
Os sistemas de troca iônica requerem produtos químicos agressivos, porém de baixo custo como NaOH para regeneração da resinas aniônicas ou HCl ou H2SO4 para as catiônicas. Outro ponto negativo é que o efluente, gerado do processo de regeneração das resinas, requer uma etapa adicional de neutralização antes que possa ser descartado.

Por outro lado, sistema de OR exige pequenas quantidades de antincrustantes especiais e/ou produtos químicos para limpeza das membranas, que é feita, normalmente, em intervalos de 60 a 90 dias.

Geração de efluentes:
Osmose Reversa gera mais água residual pois a recuperação é de 50 a 80%, sendo o rejeito destinado para o esgoto ou para uma aplicação menos exigente. Já um sistema de Troca Iônica moderno tem uma recuperaão de 96% aproximadamente. Deve-se observar, contudo, que o rejeito da OR pode ainda ser adequado para uma utilização secundária como sistemas de resfriamento, limpezas, etc. Em uma situação como esta, o rendimento total de OR pode estar perto de 100%.

Qualidade da água produzida:
TI produz uma maior qualidade de água desmi em comparação com OR, pois normalmente rejeita até 95-98% dos minerais. Com tecnologias mais modernas, remove-se até 99% dos sais. É possível e comum adicionar um equipamento para polimento (um segundo sistema de OR ou leito misto de resinas de troca iônica) tanto após a TI como depois da OR, fazendo com que ambos os processos produzam água desmineralizada de alta qualidade (baixo teor de sais dissolvidos).

Qualidade de água de alimentação requerida:
OR remove todas as espécies de partículas presentes na água de forma muito eficaz, mas requer um pré-tratamento adequado, pois deve eliminar completamente os sólidos em suspensão, ferro e dureza da água bruta.

As membranas devem ser cuidadas para evitar proliferação de microorganismos, e requerem atenção dos operadores, para promoverem limpezas sempre que os indicadores de processo indicarem.

A falta de atenção para com o sistema, pode converter rapidamente um sistema de osmose reversa em um de “osmose perversa”, não raramente implicando na necessidade de substituição das onerosas membranas de osmose que são o coração do sistema.

Os sistemas de troca ionica, por sua vez, são muito mais tolerantes quanto a sólidos e falhas de operação. Consumo energético:
Membranas de osmose trabalhando com água de superfície ou poços de baixa salinidade operam com pressões na ordem de 7 a 12 bars. Um sistema de OR convencional requer até 10 vezes mais kWh para funcionar.

Em grande escala de produção, o consumo de energia para sistemas de osmose e consumo de químicos em sistemas de troca ionica devem ser confrontados para a tomada de decisão.


Sistema Ultra Violeta - UV


Desinfecção por radiação ultravioleta (UV)
A purificação de água por radiação ultravioleta (UV) é reconhecida por orgãos de saúde em todo mundo, sendo utilizada com sucesso e com segurança em diversos segmentos, ha mais de cinquenta anos. A radiação UV usada para desinfecção é gerada artificialmente por lâmpadas de vapor de mercúrio, ao penetrar nas células dos microorganismos, altera seu código genético e impossibilita a sua reprodução. A água que circula pela câmara de esterilização, em contato com a radiação, tem os microorganismos destruídos em um curto espaço de tempo.


Vantagens do processo


Desinfecção de água sem a utilização de produtos químicos.

  • É um processo rápido e de baixo custo
  • Ideal para solucionar problemas com contaminação bacteriológica que pode estar presente em qualquer fonte de água.
  • Desabilita o ozônio residual das desinfecções, quando utilizado em conjunto com ozonizadores.
  • Não produzem odores nem sabores indesejáeis na água, diferente da desinfecção por produtos químicos que reagem com a matéria orgânica.
  • O método de esterilização por ultravioleta é seguro, não agride o meio ambiente e não tem problemas com o manuseio e estocagem de produtos químicos.
  • É um processo de tratamento imediato, ou seja, não precisa de tanques de estocagem e longos períodos de retenção


Osmose Reversa


A Osmose reversa é um processo semelhante como ocorre dentro de uma célula. A osmose reversa ocorre através de uma membrana semipermeável que absorve o sal e componentes nocivos à saúde humana e deixa passar apenas a água limpa. A osmose reversa é um fenômeno natural que ocorre quando duas soluções, de concentrações diferentes (exemplo: água pura e água salobra) são separadas por uma membrana semi-permeável, ou seja: permeável para solventes e impermeável para solutos. Haverá, naturalmente, o fluxo de água pura para a água contaminada, até que o equilíbrio osmótico seja atingido. A osmose reversa nada mais é do que a inversão desse sentido de fluxo, mediante aplicação de uma pressão maior do que a pressão osmótica natural. Neste caso, a membrana permitirá apenas a passagem de solvente (água pura), retendo os solutos (sais dissolvidos e contaminantes). A água obtida pelo processo de Osmose Reversa resulta em uma água ultrapura por um processo de comprovada confiabilidade.



Osmose Reversa - Tabela de Rejeição De Impurezas.

Acima estão descritas as impurezas que uma membrana retém. Basicamente todas elas causam gosto e ou cheiro na água. Uma vez retiradas, a água fica sem nenhum sabor ou odor. Todavia é oportuno esclarecer que muitas delas, como os metais mais pesados (cátions) e bactérias reduzem dramaticamente o tempo de vida útil das membranas, e como já salientado diminuem e tempo de regeneração das mesmas. O sistema de pré-tratamento é fundamental, principalmente em paises de clima tropical como o nosso, pois nosso solo é rico em minérios e também matérias orgânicas.


Ozônio (Geração de Ozônio)


O ozônio é gerado quando uma corrente alternada de alta voltagem é descarregada na presença de oxigênio. O maior exemplo é o que ocorre na natureza, quando em dias de tempestade há grande produção de ozônio na atmosfera devido às elevadas descargas elétricas provenientes dos relâmpagos. O gerador de ozônio basicamente reproduz, de forma controlada e eficaz, este fenômeno natural, aliando alta tecnologia na área de materiais à eletroeletrônica avançada. Desta forma, a geração de ozônio ocorre pelo princípio de descarga elétrica que acelera elétrons o suficiente para partir, através do impacto, as ligações da molécula de oxigênio. Os átomos livres reagem com outras moléculas de oxigênio para a formação do ozônio.


Características Do Ozônio


  • O ozônio é um poderoso oxidante (1,5 vezes mais forte do que o cloro);
  • É mais rápido do que o cloro na inativação de bactérias;
  • Não produz toxinas;
  • Decompõe-se em oxigênio.
  • Gás instável, incolor nas condições atmosféricas, com odor característico mesmo a baixas concentrações
  • Fórmula química: O3 (Forma triatômica do oxigênio)
  • Massa molecular: 48,0
  • Ponto de ebulição a 1 atm: - 111,9 ºC
  • Ponto de fusão a 1 atm: - 192,5 ºC
  • Massa específica do gás: 2,14 g/litro
  • Meia-vida em água a 20 ºC: 20 minutos

PODER DE OXIDAÇÃO RELATIVA DE SUBSTÂNCIAS DESINFETANTES

Em relação ao cloro, tem 1,5 vezes maior poder de oxidação e dependendo da substância que está sendo atacada é até 1500 vezes mais rápido. A pressão parcial do ozônio é bastante inferior à do oxigênio, sendo facilmente absorvido pela água; 50 vezes mais rápido que o oxigênio.


Ozônio Desinfectante


Basicamente, o que diferencia o ozônio dos diversos agentes desinfetantes, é o seu mecanismo de destruição dos microorganismos. O cloro por exemplo, atua por difusão através da parede celular, para então agir sobre os elementos vitais no interior da célula, como enzimas, proteínas, DNA e RNA. O ozônio, por ser mais oxidante, age diretamente na parede celular, causando sua ruptura, demandando menor tempo de contato e tornando impossível sua reativação. Dependendo do tipo de microorganismo, o ozônio pode ser até 3.125 vezes mais rápido que o cloro na inativação celular.




Foto 1. Bactéria sadia; - Foto 2. Parede celular da Bactéria sendo atacada pelo Ozônio; - Foto 3. Oxidação da Parede celular da bactéria - Fotos 4, 5 e 6. Ruptura e destruição da bactéria.


Taxas Relativas De Desinfecção


COMPARATIVO DO COEFICIENTE DE LETALIDADE ENTRE O CLORO DIÓXIDO DE CLORO E OZÔNIO



Aplicações do Ozônio

  • Água potável;
  • Água de resfriamento;
  • Água de processo;
  • Efluente de fábrica de papel e celulose;
  • Redução de odor e NOX;
  • Processos de branqueamento;água mineral ( enxágüe de desinfecção de reatores, tanques, garrafas );
  • Tratamento de lixívia, chorume;
  • Efluente de indústria têxtil;
  • Processos de síntese;
  • Branqueamento de matérias primas e produtos
  • Oxidação de gases
  • Desinfecção de água fresca água de processo e água de resfriamento
  • Desinfecção, descoloração, desodorização e desintoxicação de efluentes e melhoria da biodegradabilidade

O ozônio é freqüentemente usado no tratamento de água, de água de processo e de efluentes para desinfecção nos processos de lavagem (lavagem de frutas, legumes e verduras), desinfeção de piscinas, desinfecção de sistemas de lavagem de garrafas, remoção de ferro e manganês, melhoria de gosto e odor, eliminação de limo e depósitos em tubos, trocadores de calor, conexões, etc.


Vantagens Do Ozônio

  • Destruição de compostos por quebra das cadeias;
  • Mineralização de compostos orgânicos dissolvidos, causando a sua coagulação e precipitação;
  • Elevação do potencial redox da água,
  • Auxiliar de microfloculação;
  • Alta reatividade contra poluentes e agrotóxicos;
  • Desinfecção bacteriológica;
  • Eliminação de AOX;
  • Oxidação de compostos orgânicos
  • Oxidação de substâncias inorgânicas como
  • Pequenas taxas de corrosão;
  • Redução de DOC (Dissolved Organic Carbon);
  • Redução de trialometanos (THM's)
  • Remoção de cor;
  • Remoção de ferro solúvel e manganês por oxidação;
  • Remoção de sabor e odor;

Gerador De Ozônio





Skid Ozônio

Ozonizador





Gerador De Ozônio

Gerador de Ozônio 5g/h
Gabinete Alumínio
Dimensões AxLxP (mm) 414 – 315 – 162
Peso 6,6 Kg
Pintura Epoxy - eletrostática (pó)
Cor Branca
Alimentação elétrica 220 VAC
Consumo Elétrico (máximo) 110 Watts
Consumo Corrente (máximo) 0,50 Ampere
Conexões (entrada O2/saída O3) 1/4 NPT
Refrigeração Ar ventilado
Alimentação O2/Ar 1,2-3,0 Lpm / 5,0-10 Lpm
Produção O3 (inserção de O2) 4,32-5,76 g/h – valores nominais
Concentração O3 (inserção O2) 32mg/l – valores nominais
Proteção contra retorno de água (dupla) Eletromecânica e mecânica


Gerador de Ozônio 10g/h
Gabinete Alumínio
Dimensões AxLxP (mm) 414 – 315 – 162
Peso 7,8 Kg
Pintura Epoxy - eletrostática (pó)
Cor Branca
Alimentação elétrica 220 VAC
Consumo Elétrico (máximo) 190 Watts
Consumo Corrente (máximo) 0,86 Ampere
Conexões (entrada O2/saída O3) 1/4 NPT
Refrigeração Ar ventilado
Alimentação O2/Ar 2,4-6,0 Lpm / 10-20 Lpm
Produção O3 (inserção de O2) 8,64 -11,52 g/h – valores nominais
Concentração O3 (inserção O2) 64mg/l – valores nominais
Proteção contra retorno de água (dupla) Eletromecânica e mecânica

Concentrador De Oxigênio


Concentrador de Oxigênio

Gabinete Alumínio
Dimensões AxLxP (mm) 610 – 365 – 160
Peso 15 Kg
Pintura Epoxy - eletrostática (pó)
Cor Branca
Alimentação elétrica 220 VAC
Consumo Elétrico (máximo) 90 Watts
Consumo Corrente (máximo) 0,41 Ampere
Conexões (entrada O2/saída O3) 1/4 NPT
Refrigeração Ar ventilado
Alimentação Ar 110 LPM
Pressão de alimentação 0,18-0,2 Mpa/1,8-2,0 bar
Produção de O2 1-10 Lpm
Concentração de O2 na saída 93% +- 3%
Conexões 1/4 NPT
Proteção contra retorno de O3/água Mecânica



Perfuração De Poços Artesianos


A perfuração de poços artesianos é um trabalho especializado que exige, além de equipamentos modernos e alta tecnologia, uma equipe de profissionais e técnicos com ampla experiência. Considerada uma obra de engenharia projetada e construída para a exploração de águas subterrâneas, a perfuração pode atingir até 2.600m de profundidade, sendo total ou parcialmente revestida, conforme as condições geológicas. A perfuração de poços tubulares deve ser feita por um quadro técnico responsável composto por engenheiro, geólogo, engenheiro de minas ou mesmo engenheiro com atribuições conferidas pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo). Tais profissionais realizam o acompanhamento, desenvolvimento e conclusão de cada obra executada pela ACQUA SERVICE Poços Artesianos . Com equipamentos adequados e profissionais capacitados, as perfurações realizadas pela empresa são concluídas mais rapidamente, trazendo ainda mais vantagens. A Acqua Service Poços Artesianos realiza dois tipos de perfurações: Em rochas sedimentares – quando os poços perfurados são revestidos totalmente, tendo em seu interior a aplicação de uma coluna de revestimento composta por tubos cegos e filtros e seu espaço anular preenchido por seixos selecionados (pré filtro) com a sua granulometria variando de local para local. Este tipo de perfuração ocorre quando as rochas são de baixa coesão com espaços intergranulares, ou seja, oferecem permeabilidade. Com isso, a água é transmitida por meio da intercomunicação entre os espaços vazios e armazenada. Este tipo de rocha necessita que o poço receba tubos de revestimento liso e filtros para haver transmissão de água para dentro do poço. Em rochas sãs (cristalina e ígneas) – quando os poços têm revestimento diferenciado, atingindo apenas a parte superior de rocha sedimentar até a rocha sã. Esses tipos de rochas, por terem porosidade e permeabilidade quase nulas, permitem que a água seja transmitida através de descontinuidades representadas pelas fraturas e fissuras geológicas. Essas rochas permitem que as paredes do poço se sustentem drenando a água diretamente para o interior do poço após perfurado. O processo de perfuração prevê ainda a aplicação de uma coluna de revestimento composta por tubo cego e seu espaço anular preenchido por calda de cimento, perfazendo sua selagem sanitária, evitando qualquer tipo de contaminação provinda de infiltração por camadas sedimentares superiores. Após esse processo, a perfuração tem continuidade por dentro do tubo, utilizando-se equipamentos apropriados para perfuração de rochas. Com o poço tubular profundo concluído e tendo os dados hidrodinâmicos determinados após o teste de bombeamento como NE (Nível Estático), ND (Nível Dinâmico), Q (Vazão Máxima), Qe (Vazão Escalonada), Qs (Vazão Específica), S (Rebaixamento), Rc (Recuperação), perdas de cargas nas canalizações de recalque e elevações, a ACQUA SERVICE Poços Artesianos poderá calcular a Altura Manométrica (AM) relacionada à eletrobomba submersa, definindo corretamente o equipamento de bombeamento que entrará em operação, devendo recalcar a água do interior do poço até o reservatório, como também o diâmetro de tubulações de recalque, cabo elétrico e painel de comando. Com todas as informações cuidadosamente verificadas, a ACQUA SERVICE Poços Artesianos efetua a instalação no interior do poço tubular profundo de bombas submersas (submerso a alguns metros abaixo do nível dinâmico). Esse equipamento, que deverá ser compatível com a profundidade e a vazão de exploração do poço, vai bombear continuamente o aquífero em um período mínimo de 24 horas. As bombas submersas oferecem um maior rendimento para poços de qualquer profundidade. O equipamento funciona silenciosamente e requer pouca manutenção quando bem especificado e corretamente instalado.


Reuso


Água Cinza


Pode-se definir água cinza como o esgoto gerado em chuveiros, lavatórios, máquinas de lavar roupas, entre outros. Após o tratamento adequado tem-se usado este tipo de efluente nas descargas de bacia sanitária, lavagem de piso, irrigação e outros fins não nobres.O processo de tratamento baseia-se num sistema de gradeamento, seguido por um filtro biológico, sistema de ultrafiltração e por fim sistema de filtração de desinfecção. Os equipamentos são modulares e construídos em tanques de polipropileno, material que confere resistência mecânica e ao ataque químico nos tanques. A ACQUA SERVICE fabrica equipamentos com as vazões nominais de 5 e 10 m³/dia. As aplicações são diversas, podendo atender clubes, hotéis e prédios corporativos.Como instalar?A instalação deve ser realizada sobre o solo e é necessária a execução de laje radier. Outros detalhes também são necessários e descritos no projeto de implantação do equipamento. Dependendo do porte do equipamento é necessária a execução de casa de máquinas para abrigo do painel elétrico e sistema de bombeamento.Funcionamento do sistema,o funcionamento do equipamento ocorre de maneira automática. Assim que o efluente chega até o primeiro compartimento é tratado por filtro aerado, após completar o período de detenção ele é bombeado para o sistema de pré filtração e em seguida na membrana de ultrafiltração. Na etapa final ocorre a desinfecção final através da adição pastilhas de cloro por dosador adequado.Manutenção/Operação do SistemaO equipamento requer simples manutenção e a ACQUA SERVICE disponibiliza junto com o equipamento um manual de operação que cita todas as medidas necessárias para acompanhamento e monitoramento do sistema dentre elas:

  • Limpeza do pré filtro;
  • Manutenção preventiva dos equipamentos do sistema;
  • Reposição de pastilhas de cloro na etapa de desinfecção;
  • Dentre outras;


Lavagem de veículos


“A lavagem de veículos leves e pesados realizada por lava rápidos utiliza grande volume de água potável que, ao final da limpeza, acaba sendo descartada juntamente com o esgoto. Assim, a Lei nº 9.439/2010 e a Lei Municipal de São Paulo nº 16.160 para criar o Programa de Reuso de Água em postos e lava-rápidos tem o objetivo de reutilizar a água das lavagens e reduzir a perda desse tão importante recurso natural. Após a sanção da lei, os lava rápidos que não estiverem em acordo com as normas, poderão sofrer multas até que se adequem. O reaproveitamento desse tipo de efluente proporciona grande economia para o proprietário, já que a água que foi utilizada passará por um processo de tratamento e poderá ser reutilizada em outras lavagens, evitando que seja necessário o consumo de mais água potável. O sistema (manual ou automatizado) desenvolvido pela ACQUA SERVICE para reaproveitamento desse efluente tem como objetivo a remoção de impurezas, óleos, graxas, sólidos e substâncias químicas que foram utilizadas no processo de lavagem, possibilitando o reuso da água novamente límpida, incolor e inodora.


Primeira Etapa


Na primeira etapa, o óleo presente na água da lavagem é separado por gravidade na caixa separadora de água e óleo (SAO).

Segunda etapa - Lavagem leve


Esse tipo de sistema é recomendado para a lavagem de veículos leves como carros, motos e similares e seu sistema consiste em mistura rápida, filtração e desinfecção. Aplicações: lava-rápidos de pequeno porte, postos de combustíveis, concessionárias, locadoras de veículos entre outros.

Tratamento Para Remoção De Ferro

Em manutenção


ETA - ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA / ULTRAFILTRAÇÃO


A Ultrafiltração é um processo conduzido por pressão que se utiliza para a eliminação seletiva de matéria em suspensão, partículas, macromoléculas de grande tamanho, matéria coloidal ou microrganismos, mas que não elimina íons ou matéria dissolvida. As pressões de operação costumam estar na faixa de 0,5 a 6 bar. As membranas de Ultrafiltração eliminam contaminantes por um mecanismo simples de exclusão por tamanho (crivado ou peneirado). Uma diferença de pressão torna possível a operação. O tamanho do poro nominal (diâmetro do poro expresso em micro) ou o peso molecular de corte (peso molecular de um soluto que é retido em mais de 90%, medido em Daltons) normalmente utilizam-se para caracterizar as membranas de Ultrafiltração.





VANTAGENS EM RELAÇÃO À FILTRAÇÃO CONVENCIONAL

  • Menor consumo químico;
  • Maior eficiência na eliminação de contaminantes;
  • Qualidade melhor e mais consistente do filtrado;
  • Maior compacidade e automatização mais simples.